Desencontro


Desencontro

Enquanto espero,

Estás ausente.
Decides o sítio e a hora,
Esqueço a data.
Venho ao teu encontro,
Desapareceste.
Estou distraída,
Estás presente.
Aguardo o telefonema,
Já adormeceste.

Nunca nos encontrámos.
Estranhos nos tornámos.
E agora que chegou o fim,
Que nada mais verás de mim,
Choras desesperado,
Por não me ter ao teu lado.
Não houve dor nem feridas,
Foram só ocasiões perdidas.
dm
Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

26 respostas a Desencontro

  1. Amiga poetisa doce e encantada!Que feliz, DEUS ter colocado você em meu caminho, encanta meus dias e adoça meus sentimentos!Agradeço amiga, todo seu carinho e seu dom, de encantar.Muito amor e sorrisos sempre!

  2. Dulce, esse poema é de uma simplicidade maravilhosa. A gente vai lendo e se desencontrando. Olha que coisa linda isso:"Não houve dor nem feridas,Foram só ocasiões perdidas".Muito inteligente o contexto do poema.Até breveManoel

  3. Isa Lisboa diz:

    Pois é, há desencontros assim, e depois fica a sensação de…Gostei muito de ler, beijos

  4. This comment has been removed by the author.

  5. Muito bonito!Beijos querida 😄

  6. Dolce Vita diz:

    Bela construção poética, Dulce!

  7. Os desencontros desta vida!Tantas vezes isto me aconteceu…Adorei!

  8. Olá Dulce,Lindo o poema. Pena que haja tantos desencontros pela vida! Ocasiões perdidas são estradas para este desencontro.Gostei demais e a imagem representou bem o foco do poema.Beijo.

  9. O Profeta diz:

    De folhas de Outono se coroa uma tontaLancei pedras sobre as ondas furiosasTeimosamente arde neste peito uma raivaE vi muito lixo num covil de raposasAs coisas que um poeta vêAs coisas que que invadem uma alma dementeNum silencio contaminador, estonteanteOuvi palavras de amargo presenteCheguei finalmente a uma certa praiaFiquei encoberto por uma mancha de gaivotasNa impressionante fachada da minha almaFecham-se com estrondo todas as portasDoce beijo

  10. Mariangela diz:

    Oi Dulce!Que poema lindo e ao mesmo tempo triste, pois sonhamos tanto com o amor e quando o encontramos muitas vezes há mais desencontros do que encontros!Perde-se tanto!Beijos amiga!MariangelaMariangela

  11. Caros leitores e amigos, A simpatia dos vossos comentários, a amizade das vossas leituras frequentes e atentas, são um tesouro que estimo imenso!Muito obrigada a todos pelo carinho!Até breve!

  12. Poesia difícil de ser interpretada! Mas há, me parece, um constatar claro de desencontro. Você dá impressão de às vezes se importar, outras, não. Fica a dúvida e o encanto pelos versos vindos de alguém que tem extrema sensibilidade e sutileza, um zelo, um cuidado, um quase velar pelas palavras ditas: você!

  13. É verdade, às vezes o destino parece conspirar para que alguns relacionamentos aconteçam. No meu caso foi o contrário 🙂 E a minha história de amor dura já há 10 anos.Beijos, milRuthia d'O Berço do Mundo

  14. Olá querida! Estou seguindo no G+ e aqui também! Lindo o poema, adorei! Ofereço com carinho o meu award, selinho de seguidor e selo primavera e/ou outono, com carinho!Apareça mais vezes! É muito bem vinda!bjinho amigoJoana Neves

  15. Iza diz:

    Olá Dulce!Ainda hoje comentava em outro blog da minha dificuldade em comentar poemas.Eu sempre admirei os poetas e sua capacidade de escrever o que pessoas comuns ( como eu ) nunca conseguem. Eu amo ler poemas e diante de poemas como esse que acabo de ler só consigo sentir e o que sinto não consigo definir com palavras. Acho que é porque não sou poeta.Por isso te leio sempre mas pouco comento para não me tornar repetitiva.Beijos!

  16. Lulis Paz diz:

    Que poesia bonita.o estilo me lembra drummond de andradetens talentohey segue de volta e deixa um comment?www.diademegalomania.blogspot.comvaleu

  17. Dulce minha poetame perdoaporque ainda não sei bemviajar nestas facesnestas mídiasmas estou aprendendoa ser um internautae um pobre poetaamei teu poema desencontradomas saiba que nos teus versoshá o encontro veladoolhando vocês doisantagônicos atônicosse desencontrandonas diferençasnos lugaresnos gostosmui lindo teus versos Luiz Alfredo – poeta

  18. Dulce, boa noite!Nossas confissões viram poema depois terem revirado o nosso coração e a nossa alma. Nossos paradoxais dilemas, quando viram versos, amenizam a nossa dor, apesar de todos os convexos e convenções. O que posso dizer? É belíssima a tua forma de se expressar com ou sem apesar. Existe toda uma retórica em suas linhas, que de forma subtendida, na busca do encontro, mais perto chega da arte. Arte de amar, ou de escrever, não importa o que, pois a sua inspiração não tem nome, tem emoção, talento e sentimento…Parabéns!

  19. Mari@ diz:

    Precioso mesmo, coisa mais linda de se ler! Parabéns.

  20. precioso e muito bem conduzido este texto!!!

  21. A arte imitando a vida… É bem assim, mesmo!

  22. "A vida é a arte do encontro embora haja tantosdesencontros pela vida"( Vinicius de Moraes)Você soube muito bem dizer com seu poema essa realidade.Um abraço

  23. Claudete diz:

    Lindo poema Dulce, bem concatenado e vê-se expressa sentimentos vividos e compartilhados com a mesma intensidade, fala para todos. Parabéns!

  24. Isa E. diz:

    Olá, minha querida!Que belo poema!Quanto não perdemos nesses desencontros da vida?Nunca conseguiremos responder…

  25. Al Reiffer diz:

    Ótimo teu blog, parabéns! Acompanho! Bjo

  26. Amiga Dulce!Cada vez mais me encanta,tantos e tantos amores, acabaram assim, bem sei.E você com sua delicadeza, sua alma poética, fez virar poesia,fez ser lindo…Amei demais!!!!Sei que tocou e acariciou muitos corações, com este!

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s