Flamejante

Arte: Flamme Flamme


Flamejante

Luz
que se apaga e ilumina.
Paz
que me toca e domina.
Tu
que me falas em silêncio.
Eu
que conduzo sem licença.

Escolhe os atalhos para encontrar
os caminhos que levam a mim.
Corre na areia sem para trás olhar,
percorre o mundo que não tem fim.

Nós
no desequilíbrio dos corpos.
Cor
que se pinta no rosto lentamente.
Sós
descobrimos a infinda magia.
Voz
que se atreve a pedir sem medida.

Percorre agora o espaço que resta.
Encontra-me no fundo desta paixão.
Aceita o desejo que se manifesta,
entoa, do prazer, a leve canção.

Laço
criado na sintonia do amor.
Eco
de dois corações que batem até voar.
Luz
numa explosão na mente e na alma.
Paz
enfim nos teus braços me acalma.

Dulce Mor@is
Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

18 respostas a Flamejante

  1. Léo diz:

    Saudades de teus versos, Dulce!
    Parabéns pelas palavras e seu ritmo a cantarolar…

    Beijinhos, = )

  2. Flamejantes versos que vasculham os recônditos de nossa alma e nos transporta …
    Bjs.

  3. Toninho diz:

    Linda construção num belo canto de amor.
    Aplausos Dulce, que bom estar a ler mais uma obra bela sua.
    Um abração.

  4. Mais uma vez tenho que dizer “Belíssimo”.
    Grande abraço, Dulce.

  5. Dulce, lindíssimo poema. Intenso e delicado ao mesmo tempo.
    Parabéns.

  6. AC diz:

    Dulce,As palavras são suas amigas. Parabéns!Beijo 🙂

  7. Parece que na música dos versos uma determina e a outra consente, quase um dueto com uma só voz e um só coração em uma imagem de sensibilidade poética.Adorei!Beijos amiga Doce Dulce

  8. O amor…sempre o amor total que se aspira e nos envolve e nos completa.Lindo!Um abraço

  9. Apesar da tristeza, um poema repleto de beleza e encanto. Bom te ler amiga, um bj. => Gritos da alma => Meus contos => Só quadras

  10. É possível percorrer cada um dos caminhos indicados e exigidos por estes versos sem que percebamos que estamos sendo levados; e, quando , enfim, nos vemos abraçando esse alguém sugerido nos poema, nos vemos mais um pouco melancólicos, por causa da imagem evanescente; mas esperançosos, pois calor do toque foi tão real, enquanto durou, quanto aquele que sentiu sua criadora; fazendo assim uma ligação transcendente que é mesmo única.

  11. "Escolhe os atalhos para encontrar os caminhos que levam a mim". Como pode se definir toda essa poesia e principalmente a beleza desses verso? Um pouco de lamento,talvez, mas de muita beleza. É sempre muito bom e gratificante ler você. Abraços.

  12. Iza diz:

    Já estava com saudades de ler você e seus poemas lindos :)Beijos!

  13. Sinto uma saudade pungente em cada verso Dulce, sinto também a beleza do teu lindo coração. Gr. Bj.!

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s