Impotência

Arte: Richard Topdal

Arte: Richard Topdal

Impotência

Arde a areia
Cristaliza em milhares de pedaços
Quebrados pelo vento arrebatador

Escurece o céu
Por nuvens e trovões assombrado
Estrondos gritam angústias ao mar

Rasgam-se espelhos
Apagam a luz do reflexo
Enviam pensamentos atormentados

Secam os rios
Deixando no leito vazio
Vestígios do passado tantas vezes visitado

E ficam humanos
De peito vazio e corações calejados
Suplicando o céu de trazer alívio

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

3 respostas a Impotência

  1. Dulce, você conseguiu mostrar com muita propriedade o retrato do inevitável caos. Muito bem escrito.
    Um abração,
    Manoel

  2. Muitas vezes não temos poder para mudar tantas coisas que nós mesmo provocamos, quem dirá o curso da natureza, de tão pequeninos que somos perante o planeta, perante o universo. Belíssimo, profundo e tocante Dulce. Abraços.

  3. “E ficam humanos
    De peito vazio e corações calejados
    Suplicando o céu de trazer alívio”
    E no tempo certo o alívio chega, pois as nuvens e os trovões sempre serão nômades no caminho.
    Beijos no seu coração.

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s