Ondas de Ser

Arte: Mark Webster

Arte: Mark Webster

Ondas de Ser

Impulsionar-se na queda
dos pensamentos, esse santuário.
Liquidificar-se pela queimadura do indizível.
Diminuir-se, um pouco mais cada dia.
Aniquilar-se  no distúrbio,
no que contém o intimo.
E afundar-se. Naufragar
No mar da incompreensão.
Afogar-se no oceano,
Como uma libertação.
Uma vitória. Enfim!
Contra a violência do Ser.
E nenhuma tentativa externa
De salvação, mesmo miraculosa,
Pode completamente apreender
A essência dessa morte.
É assim que se deve desaparecer:
Por fadiga ou por escolha.
Porque só nessa rasura
Sabemos, com uma absoluta certeza,
Que a vida dura tanto quanto expressa a sua voz.

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

4 respostas a Ondas de Ser

  1. Minha querida Dulce,

    fiquei completamente sem palavras para expressar o quanto amei estes versos.

    Gr. Bj. e um abraço sincero e saudoso.

  2. Ruthia diz:

    Caramba, estou sem palavras. Cada vez que leio o poema, encontro-lhe novas imagens e interpretações. Belíssimo, Dulce.
    Beijinho, uma doce semana
    Ruthia d’O Berço do Mundo

  3. Dulce, tão lindo e tão sentido que não tenho palavras apropriadas para comentar. Apenas o meu sentimento foi saciado.
    Grande abraço,
    Manoel

  4. Isa Lisboa diz:

    Vejo aqui ondas que libertam, que nos fazem talvez apreender (:) ) o que somos, o que há em nós!
    Gostei muito, Dulce! Beijinhos

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s