Trabalhos de Agulha

Imagem da Web

Imagem da Web

Trabalhos de Agulha

Desfazem-se as malhas,
uma a uma,
do trabalho construído
Por mãos delicadas.
Com devaneios perdidos,
arrancam-se os nós
de uma vida sonhada.
Resta uma linha
amarrotada, usada,
em ondas de fragilidade.

Foram necessárias mãos ágeis,
a agulha da emoção,
cumplicidade partilhada
e sentimentos sinceros,
para tecer cada pedaço
da obra emaranhada.
Agora que as mãos tremem
e que a agulha foi espetada no peito,
é arrancado o fio do futuro
que deixa aberto
o novelo da vida.

Enrola-se em círculos repetidos
a linha dos projectos.
E o sangue derramado
pelo coração aberto
nutre a dor do que foi perdido.
E as lágrimas que rolam
sobre o rosto escondido
matam a sede da lembrança
do trabalho outrora construído.

Ao Céu dirige-se a linha,
num gesto desesperado,
para rogar ao Eterno
que não apague a memória;
a mágoa é a prova
que no mundo existiu
o parceiro perfeito
da obra que os uniu.

Em gestos frenéticos se fabrica,
sem agulha nem paixão,
outro trabalho de lã.
Um cobertor que se aplica
n’alma derrubada ao chão
para tentar ver o amanhã.

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

38 respostas a Trabalhos de Agulha

  1. lindo poema Dulce!! uma bonita metáfora da “eterna tecelagem que é a nossa vida” :)) um beijinho

  2. alinesagitario diz:

    É isso aí… a vida é uma eterna reciclagem… Maravilhoso! Como acho o conteúdo que vc compartilha é de grande qualidade poética, nominei o seu blog ao premio http://ritmodasletras.wordpress.com/2014/03/24/the-cracking-chrispmouse-bloggywog-award/. Obrigado por compartilhar suas idéias e párabens. Por favor siga as instrucoes do premio através do post que inclui neste comentário. Abraco

  3. Olá Dulce.

    Adorei o poema. Lindo, apaixonado e intenso.

    Gostava mais quando estavas no Blogger 😉

    Beijinhos e boa experiência no WordPress,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com/

  4. Costuma-se dizer que “não há trabalho que se faça, que não se desfaça”. Adorei! Beijo

  5. Marilene diz:

    Vamos lendo e refletindo, Dulce. Todos já tivemos que refazer o trabalho para desmanchar nós, momentos em que as lembranças de tudo que os formaram nos assolam. Bjs.

  6. Dulce minha querida,

    para que uma alma que sente frio se aqueça é preciso apenas encontrar uma outra alma na mesma situação, desde que haja entre elas uma conexão. Gr. Bj. minha linda!

  7. Dulce,
    Gostei das rimas incidentais, e da “dulçura” das palavras.

    fraterno abraço
    Marcos

  8. Sissym diz:

    Dulce,
    Para unir as linhas e fazer uma só peça é preciso trabalhar com atenção.
    Interessante o poema, o li duas vezes, cada uma vez tive pensamentos diferentes.

    bjs

    • Querida Sissym,
      É necessária uma grande sensibilidade para deixar entrar no peito emoções diversas a cada releitura das mesmas palavras…
      Obrigada pelo seu carinho.
      Bjs!

  9. Dulce, maravilhoso esse poema. Carrega muito sentimento. Gostei dele todo, mas o final me chamou a atenção. Me parece a transição do mundo do artesão, do artista sendo tragado pelo mundo industrial.
    Parabéns pelo talento.

  10. Vanessa diz:

    Acho que na vida acontece de nos enrolarmos em nossos novelos, mas com um pouco de sabedoria podemos nos desenrolar. Além disso, acho que a vida é uma eterno trabalho em la, onde fazemos alguns pontos e desfazemos outros. As vezes recomecamos do zero… Enfim, Mais um lindo texto, Dulce. Beijinhos

    • São apenas algumas malhas aqui derramadas, as da vida sendo mais complexas de tecer… mas bem mais belas de viver 🙂
      Muito obrigada, Vanessa!
      Beijinhos!

      • +Palavras ao Vento diz:

        *_ mesmo muito LINDO!_*

        *No mais,* *queira-me bem que no lhe custa nada.*

        *EP. GHERAMER* *Palavras ao Vento *

        Em 17 de maro de 2014 17:22, Crazy 40 Blog

  11. Delicado!!

    Quanta beleza nos versos!!
    Tecer palavras, bordar versos. Olhar os detalhes com um ar poético é observar a vida em palavras de sonhos…

    Beijos Flor!!!

  12. Mariseven diz:

    O coração foi tocado sim, como disse Palavras ao vento. Tu e eu entendemos bem deste contexto não é mesmo Dulce? As perdas significativas e a dor pelas lembranças de tudo que se passou. Maravilhoso poema narrando sentimentos. Parabéns!!! beijo querida!

  13. Dulce, a medida que a obra vai acontecendo, o novelo de lã vai se desenrolando. O desenrolar tem que ser mais lento para evitar que tudo fique emaranhado. Adorei se post.
    Beijinhos,
    Mano

    • Querido Manô,
      Pode o emaranhado ser denso, será sempre possível desfazê-lo enquanto houve mãos sábias para o desenrolar…
      Obrigada pelo teu carinho.
      Beijinhos!

  14. Isa Lisboa diz:

    Dulce, podemos fazer muitos trabalhos em lã, mas aqueles que foram feitos com mais amor, e com mãos parceiras, ficarão sempre connosco! E os teus versos são um desses trabalhos em lã, como que um casaquinho bem aconchegante, que queremos vestir para nos aquecer!
    Beijinhos

    • Isa,
      É sempre emocionante receber os teus tão doces comentários.
      Resta-nos, então, a vestir esse casaquinho aconchegante e continuar o caminho, levados pelo bater do coração…
      Muito obrigada!
      Beijinhos!

  15. +Palavras ao Vento diz:

    *Cara Dulce.* *Vou repetir o Comentrio que j fiz:*

    *Simplesmente L.I.N.D.O! Que fora e quanta emoo brotam destes teus versos, Dulce. Sabe quando a gente sente o corao tocado, fisicamente tocado? Aconteceu comigo. Parabns grande Poetisa e Pessoa!* *Um grande e carinhoso abrao, Dulce!*

    *No mais,* *queira-me bem que no lhe custa nada.*

    *EP. GHERAMER* *Palavras ao Vento *

    Em 16 de maro de 2014 12:20, Crazy 40 Blog

    • Caro E.P.,
      É sempre com emoção que recebo comentários tão elogiosos.
      Sinto-me lisonjeada pela sua presença e por saber que gostou destes modestos versos.
      Muito, muito obrigada!
      Abraço literário!

      • +Palavras ao Vento diz:

        Fico muito feliz com isso, Cara Dulce!​ Eu sempre saio ganhando…

        *No mais,* *queira-me bem que não lhe custa nada.*

        *EP. GHERAMER* *Palavras ao Vento *

        Em 16 de março de 2014 13:06, Crazy 40 Blog

      • +Palavras ao Vento diz:

        É sempre muito bom ler seus textos, Dulce!
        Um grande abraço!

      • +Palavras ao Vento diz:

        É sempre muito bom ler seus textos, Dulce!

  16. +Palavras ao Vento diz:

    Simplesmente L.I.N.D.O!
    Que força e quanta emoção brotam destes teus versos, Dulce.
    Sabe quando a gente sente o coração tocado, fisicamente tocado?
    Aconteceu comigo.
    Parabéns grande Poetisa e Pessoa!

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s