Estava em ti

Cyril

 

Estava em ti

Recordo-me do primeiro pensamento que tive quando te vi pela primeira vez. Recordo-me do sentimento imenso que me invadiu naquele instante. Foi o amor imenso que preencheu cada poro da minha alma e que jamais a abandonou. E o medo… medo de não conseguir cumprir a missão que então me era confiada. Não temia nada em relação aos cuidados físicos que necessitavas. Isso eu já conhecia devido à chegada inesperada daquela que, sem ter nascido de mim, já era minha filha no coração. O que eu sentia naquele momento, era medo de não conseguir acompanhar-te, de não saber como guiar-te na vida para que te tornes um homem bom, sensato, de espírito aberto, que saiba ver a beleza além das aparências, que saiba ver a perfeição do mundo apesar da cobardia do Ser Humano, que saiba ver o valor da Humanidade além do que ela tende a mostrar-nos cada dia.

Foi ao terminar o dia 6 de maio de 1995 que esse sentimento me invadiu. Dezanove anos mais tarde só posso constatar que falhei. Falhei porque não consegui acompanhar-te e guiar-te através do tempo e do mundo como terias merecido. Falhei porque, afinal, nem sempre consigo ver o mundo com indulgência…

Mas constato, meu filho, que tu sabes! Tu tens essa capacidade de ver o lado belo da vida, de ver o que há de bom na Humanidade. Sabes olhar o Mundo e dizer que é belo. Sabes ser feliz por receber um sorriso. Sabes alegrar-te ao ver um olhar terno e ver nele o mais belo presente da Vida. Sabes falar ao Sol e cantar-lhe a tua felicidade. Sabes olhar uma flor e murmurar-lhe a intensa beleza de estar Vivo!

E porque falhei? Falhei porque desde sempre vivia em ti essa maravilhosa forma de ver a Vida e de encarar o Mundo. Afinal, tu sabes isso tudo porque sempre fez parte de ti. Nada disso se deve à minha intervenção.

 E hoje, ao observar-te dormir, sei que falhei porque a minha missão não era essa. Não era acompanhar-te nem guiar-te. Não era ensinar-te. A minha missão, meu filho, era aprender contigo. Aprender a ter essa capacidade de amar sem nada esperar. Aprender a ser feliz só porque se está vivo. Aprender a cantar ao Sol e a falar com as flores. Isso tudo, meu filho, foste tu que me ensinaste! A beleza da tua alma, meu filho, desde sempre estava em ti.

Maman

 

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

26 respostas a Estava em ti

  1. Esse é um caminho de mão dupla, em algum ponto há o encontro mas para que ele aconteça os dois lados precisam seguir em frente. Está nele e está em você a beleza singular de duas almas predestinadas a ensinar e aprender uma com a outra. Gr. Bj. mãezinha linda! Gr. Bj. Filhote abençoado!

  2. Cássia Torres diz:

    Excelente e emocionante!
    Amei ler!
    Parabéns e obrigada Dulce pela partilha!
    Beijo! 🙂

  3. Então ninguém falhou. Apenas soube-se que professor nem o aluno estavam em lugares trocados. Acontece, às vezes, hum?

  4. Clau Assi diz:

    Aplaudindo aqui…..
    Lindo!!! Poético!! Emocionante!!!

    Beijo ternurento

    Só para dividir – minha caçula é de 06/05…. 🙂

  5. Sissym diz:

    Dulce, que lindo!

    Aprendo constantemente com minha filha, nos erros e acertos. Pensei que eu ensinaria o tempo todo, mas na verdade, é uma troca: o que aprendi e posso passar, como ela vê o mundo e interage. Nada é perfeito o tempo todo, porque a vida é uma provação.

    Eu procuro ver o lado bom da vida, eu preciso fazer isso porque faço por mim, para não me tornar uma pessoa amargurada e que quem estiver perto nao consigo ficar se aproximar.

    Beijinhos

    • Sissym,
      Não poderia tê-lo dito melhor: ser mãe (ou pai) é uma aprendizagem de cada dia. E, por ter filhos já grandes, posso dizer que nunca se termina a lição!
      Beijinhos e obrigada por estar aqui!

  6. Vanessa diz:

    Sem palavras para tecer elogios ao seu texto, Dulce. Como sempre, maravilhoso!

    Beijos

  7. Lucinéia Bastos diz:

    Que.linda.mensagem!!!…
    Adorei..
    Beijoss..
    Lú.

  8. João Carlos Lima diz:

    Maravilhoso! Permanece, sem desligar continua.

  9. Quanta emoção senti, e refleti do lado daqui do oceano lendo essa prosa. Que lindo esse reconhecimento de missão (” Aprender com ele”), meu coração pulsa de alegria por vocês
    Beijos
    Parabéns pra vocês!

    • Querida Clau,
      Só um alma carinhosa e bela pode sentir essa alegria apesar da distância.
      Obrigada pela sua insubstituível presença ao nosso lado!
      Beijinhos!

  10. Dulce, esse realmente costuma ser o grande equívoco dos pais. Achar que ensinarão aos filhos quando na realidade, são eles nossos grandes mestres. Basta ter olhos e humildade pra ver. Lindo texto!
    Bjs

    • É verdade, Roseli, que quando pensamos ensinar, na realidade, estamos aprendendo… é um dos paradoxos da vida, mas um presente que devemos aceitar com carinho e humildade.
      Obrigada!
      Bjs!

  11. +Palavras ao Vento diz:

    Esta mãe não falhou porque não conseguiu seu intento, pois esse filho já tinha o que ela queria ensinar e, por isso, não foi influenciado por ela. Por outro lado, ela aprendeu dele. De certa forma, esse filho – esse indivíduo – foi cuidado naquilo que necessitava ao nascer. Depois das fraldas e mamadeiras, das coisas básicas e para as quais ele não poderia se cuidar e ensinar, essa mãe – esse indivíduo – fez a sua parte. Penso que quanto ao mais, quanto ao que vem depois, ela e qualquer indivíduo está isento da responsabilidade de ensinar. Na verdade, nada devemos ao outro a não ser o amor recíproco.
    Belíssima reflexão, Dulce.
    Obrigado e um grande abraço!

    • Caro EP,
      É sempre uma delícia ler os seus comentários que nos levam sempre um pouco mais longe na reflexão.
      Não sei se jamais somos isentos de ensinar a quem nos foi confiado neste mundo, mas sei o quanto deles podemos aprender e, esse, é um dos mais belos presentes da vida!
      Abraço!

  12. Ruthia diz:

    Pronto, aqui esmago umas gordas lágrimas que teimam em cair. Belo demais, como só o amor de uma mãe!!!
    Permita-me que acrescente apenas que não concordo, de todo, que a sua intervenção em nada tenha interferido para que o seu filho se transformasse (ou mantivesse) um lindo ser humano. Ainda que seja impossível medir o seu contributo, ele está lá e é enorme.

    Beijinho, continue a ser quem é!
    Ruthia d’O Berço do Mundo

    P.S. Finalmente dei seguimento ao “The Cracking Chrispmouse Bloggywog Award” que muito lhe agradeço.

    • Ruthia,
      O seu Pequeno Explorador tem magia nas palavras e sei que uma mãe dedicada e atenta sabe e compreende cada uma das palavras aqui escritas…
      Obrigada pelo seu carinho e pelas tão bela mensagem! Continue a nos fazer sonhar e ver os seus passeios através das suas publicações.
      Beijinhos!
      PS: Vou lá agora mesmo! Parabéns!

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s