Ondas

Arte: Simona Timofei

Arte: Simona Timofei

Ondas

Um passo
A planta do pé, pouco habituada à nudez, sente a carícia da matéria fina, recebe entre os dedos – brancos de nunca verem a luz – os pequenos grãos quentes.

Um ligeiro tremor
Tendo estudado com assiduidade e dedicação a composição do elemento que acolhe os rolos salgados, nasce no peito uma certa apreensão que estes pedaços de conchas, moídos pelo tempo e a usura, lhe possam ferir a pele.

O conforto
Sente apenas o doce calor, como a carícia da mão de uma mãe no rosto do seu primogénito. Há nesse gesto a capacidade de consolar todas as mágoas e a certeza que para a eternidade ali ficará.

A cobardia
Veio ali unicamente para aquele momento. Sonhou dele, planeou cada gesto, cada passo, mas agora que concretizou a realização do que a mente, ignorante e imaginativa, criou, sente no fundo do ventre a vontade de recuar, de fugir do local para o qual tanto lutou.

A emoção
Nas entranhas trava-se a luta feroz entre o desejo de recuar e a vontade de avançar apesar de tudo. Erguido, imóvel, os olhos cerrados, experimenta pela primeira vez centrar-se nos sentidos. Oculta os pensamentos, afasta a razão e apenas sente, despertando uma cadeia de eventos que não tinha previsto. Vive cada emoção assim acordada com genuína atenção. Sem nada entender, apenas sente, respira, prova, escuta.

A coragem
Sente então a falta de visão. É o único sentido que ainda recusa ao corpo e é o que mais deseja naquele momento. Abrindo enfim os olhos, observa e absorve o azul das ondas, recebendo em cada poro o arrepio delicioso da novidade que se prepara a descobrir.

O passo
Enfim, após estar certo que nada mais há para sentir na imobilidade, avança ao encontro do líquido salgado tanto esperado. Sente o sal na pele e o picante da brisa que não pode deixar dúvida quanto à realização do sonho de ver e sentir o mar.

* * *

Se me for dada, um dia, a possibilidade de ver o mar, gostaria de saber se é verdade que ele responde às nossas perguntas e leva ao largo as nossas mágoas.

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

36 respostas a Ondas

  1. Mariana Gouveia diz:

    Não conheço o mar. ( ainda)
    Mas, a sensação que tenho é que a paz que ele oferece acalma e eleva a alma.
    Tudo lindo aqui!
    beijos

  2. Que maravilha, estive com o teu texto à beira do mar, pisando na areia. E sim, ele leva tudo que não precisa mais ficar.

    • Mariel,
      Tendo sido escrito com os pés na areia, trazido pelas ondas do mar, é então muito natural que, levando-o consigo, ele tenha sido devolvido ao seu elemento…
      Obrigada!

  3. Incrível Dulce a sua capacidade ao descrever essa emoção. E realmente é uma emoção que chega a doer ante a expectativa. Nasci vendo e convivendo à beira mar, mas logo meus pais se mudaram para o Centro-Oeste, e quando voltei, já adolescente, foi mágica a sensação e chorei,
    Lindo!!!
    bjs.

  4. Ruthia diz:

    Minha querida, estou a estranhar a sua ausência, porque sempre escreveu e criou com muita regularidade. Espero que esteja tudo bem. Beijinho com saudades
    Ruthia d’O Berço do Mundo

    • Querida Ruthia,
      Nem sempre podemos fazer o que desejamos e a vida leva-nos por vezes contra a nossa vontade…
      Lentamente irei regressar às publicações regulares.
      Muito obrigada pela sua mensagem e pela sua presença!
      Beijinhos!

  5. Prezada Dulce Morais sempre estás a produzir obras que encantam nossos corações, deixando-os mais leves, mais doces e prósperos. Parabéns! Será honra e prazer recebê-la em meu Canal ESTAÇÃO DA POESIA no You Tube. Visite e assine:
    https://www.youtube.com/user/estacaodapoesia/

  6. Fá menor diz:

    Ai o mar… sempre o mar inspirador! 🙂

    bjos

  7. Lindo, Dulce. Meu estado não tem litoral… então, pra mim ele ainda é algo enigmático.
    Grande abraço!

  8. DULCE,

    extraordinário,e comentar mais nada é a minha forma de calar ante texto tão lindo,parabéns!

    Um pedido: Visite amiga virtual,o blog FRAGMENTOS AO ACASO,que substituiu,SEXO É UM PRODUTO DE CONSUMO,que cumpriu sua função e objetivos.

    FRAGMENTOS AO ACASO, são narrativas que certamente irão levar a todos a uma reflexão existencial.

    Seu comentário é essencial, já que você é uma das minhas seguidoras.

    Um abração carioca

  9. Isa Lisboa diz:

    Sim, o mar responde às nossas perguntas… E se lhe dermos as mágoas…ele leva-as para as suas profundezas! 😉
    Beijinhos

  10. Dulce, como é bom navegar pelas suas palavras. É como caminhar na areia e sentir o cheiro de maresia!! Gosto do cheiro dos seus versos!!

    Abreijos!!^^

  11. Palavras doces de sabor a sal e de fundo azul onde caminhamos numa descoberta.
    Parei aqui para ler e deixar saudades.

  12. Léo diz:

    A passos lentos li teu poema e senti-me entrando ao mar…

    Parabéns, Dulce, pela experiência que nos convida a viver!

  13. Ruthia diz:

    Eu acredito que o nosso coração bate de forma diferente quando estamos junto do mar. Se nos conseguirmos abandonar ao momento, sim, acredito que ele é capaz de lavar muita coisa e consolar a alma.
    Obrigada por este momento sublime, quase se sente a maresia.
    Beijinho
    Ruthia d’O Berço do Mundo

  14. Neo OneEon diz:

    Um “escrevendo” de primeira, daqueles que continuam após a leitura, que a cada palavra vai despertando emoções e, no meu caso particular, memórias, memórias ainda tão vivas… Não tive como não me lembrar da primeira vez que minha filha pisou na areia da praia, parece que descreveste com maestria (e poesia!) aquele momento tão mágico…

    Obrigado por, além da beleza de seus versos, despertar-nos emoções com a sua Arte!

    • Muito obrigada, Neo!
      Humildemente tentando comunicar emoções, é uma grande felicidade saber que tais lembranças afloraram durante a leitura deste texto.
      Um abraço!

  15. Ricardo diz:

    Quando eu crescer quero escrever como você. Parabéns!
    http://criticandonamadruga.blogspot.com.br/

  16. Sissym diz:

    Dulce, se um dia estiver pelo Rio de Janeiro, vou levar voce até a praia mais bonita e podemos ver se isso é verdade. Fiquei curiosa.

    Bjs

  17. Comecei a ler normalmente e, pouco a pouco, fui cedendo à cadência do passo-a-passo dos sentidos…
    Parabéns e obrigado por este momento.
    Quanto ao mar.. Não sei… Seria bom…
    Grande abraço, Dulce!

  18. Vanessa diz:

    Adorei demais, Dulce. Sou apaixonada pelo mar e sinto todas essas sensações incríveis quando estou perto dele… E se quer saber, acho que ele responde às nossas perguntas sim 🙂

    Beijinho

    P.S. saudades do teu blog. Fiquei um pouco sem tempo de vir e comentar. Mas agora as coisas estão se organizando por aqui.

    • Vanessa,
      Vivi muito tempo longe do mar, mas ele exerce uma atração indescritível. Tentei imaginar o que seria não o conhecer e descobri-lo de uma forma diferente.

      Muito obrigada pela sua presença! Estive também ausente durante um tempo e lentamente vou regressando. Espero em breve poder visitar todos os blogs que tanto prazer tenho em ler.

      Beijinho!

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s