Pensamento I

Arte: Amy Giacomelli

Arte: Amy Giacomelli

Pensamento I

No nosso jardim cuidamos de cada flor com o mais sincero coração.

Algumas murcham, outras crescem, e pode até acontecer-lhes voar, levadas pela brisa de verão.

Entre elas há por vezes uma flor que, apesar de tanto ser amada, nunca sabe ver a sua própria beleza, que apesar de ser aconchegada, nunca aceita o tutor que tenta guiar o seu pé e que, por ser tão incondicionalmente acolhida, talvez, derrama, de quando em vez, veneno entre as suas folhas provocando mágoas irreparáveis à mão que tantas vezes a acariciou.

São assim, as flores: por vezes abrem a corola para nos recompensar por um simples olhar, e outras picam-nos apesar de cuidados constantes e dedicados.

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

21 respostas a Pensamento I

  1. Isa Lisboa diz:

    Dulce, há flores cujos espinhos fazem parte da sua beleza. Pois não somos belos apesar das imperfeições?

    Beijinhos

  2. E o jardim continua suspenso a espera do surpreso jardineiro.

  3. O encanto de florescer e trazer belezas…

    Beijos Dulce querida!!!! 🙂

  4. As flores não nos ferem.Elas encantam-nos. Nós e a nossa vaidade ferimo-nos apenas numa beleza que não tem proprietário e que reage à nossa cegueira natural .

  5. Muitas vezes a flor que fere também liga a ferida. Faz parte do processo de cultivo, muito embora seja mais dolorido do que possamos compreender e aceitar. Uma coisa podemos tomar por certa: semente boa e terra fértil sempre produzirão bons frutos, mesmo sob a severidade das mudanças bruscas de estações. Vale a pena confiar e descansar.

    Gr. Bj amada!

    • Doce Cris,
      “Confiar e descansar”! Talvez sejam estas as palavras que me faltavam…
      Obrigada pelo teu carinho e amizade!
      Um grande beijo e um abraço do tamanho do oceano que nos separa.

  6. Mas vale, se são flores especiais, cada cuidado e cada pequeno incidente.

  7. Ruthia diz:

    A Dulce regressou com a energia habitual, com a inspiração regular e ritmada. Muito bom sentir isso. E quanto às flores ingratas, bem, temos que continuar a cuidar delas. Também Deus é um grande jardineiro, tantas vezes maltratado!?
    Beijinhos
    Ruthia d’O Berço do Mundo

    P.S. Durante a sua ausência, publiquei uma série sobre a capital da República Checa que a Dulce vai adorar.

    • Ruthia,
      O Grande Jardineiro tantas vezes maltratado é omnipotente e sábio.
      Cabe aos pobres jardineiros inexperientes confiar-lhe o cuidado das flores… e as mágoas encontradas entre as folhas…
      Obrigada por estar sempre presente!
      Beijinhos!

      PS: Ainda não tive ocasião de ir ler sobre a Republica Checa, mas está na minha lista! 🙂

  8. Ronaldo Savazoni diz:

    Tão sucinto, mas muito belo e construído com uma analogia de romantismo e realidade. Uma critica velada e adocicada das relações humanas…Gostei deveras…obrigado pelo deleite!

  9. É no momento desse derramar o jardineiro precisa utilizar sua sabedoria e voltar o seu olhar para a flor que nunca dorme.
    Não é fácil, bem sei.

    Lindo demais seu pensamento.

    • Clau,
      Não é fácil, pois não…
      O amor do jardineiro não se altera, porém. Mas a mão pode afastar-se por não poder mais segurar o regador…
      Obrigada, minha amiga!
      Beijinho!

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s