Esquecidas

Foto: Dulce Morais

Foto: Dulce Morais

Esquecidas

Perderam-se no espaço
Ao céu foram entregues.
Poderosas?
Talvez apenas por serem
Raras em certas mãos.

Saberá o poeta dizer
Se as ama ou as despreza?
Entregues ao vento,
Despojadas do sentido
Que lhes foi dado,
Num impulso impresso.

E voam,
Esquecidas para sempre,
Num gesto de desespero.

Palavras, apenas,
Vazias, talvez,
Ou repletas do ser.

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

17 respostas a Esquecidas

  1. As palavras vindas de uma alma verdadeiramente poética sempre carregam uma boa dose de energia (e como o nosso satélite natural durante a fase da lua Nova , não é visível a olho nu , mais está lá) e nem por isso são esquecidas … Apénas captadas por poucos …
    Abraço

    • Clau,
      Elas viajam, navegam, fogem por vezes, mas sempre regressam, preenchidas de outros perfumes que nos oferecem bem mais do que poderíamos ter sonhado…
      Grande abraço!

  2. Bem… já consigo aceder…
    Mas isto é complicado…

    E desejo-lhe uma excelente Quadra Natalícia!

  3. Isa Lisboa diz:

    Ainda que possam ser esquecidas, as palavras do poeta nunca são vazias! 😉

  4. AC diz:

    Dulce,
    As palavras não têm destino certo, elas são como carta escolhida pelo destinatário, alguém que lhes descobre um sentido. O poeta, ao enviá-las, desenha uma tela, o leitor, ao apoderar-se delas, poderá arquitectar um quadro completamente diferente, desde que elas não sejam herméticas. Mas, entretanto, houve comunicação, que é o que se pretende.

    Um beijo 🙂

  5. Clau Assi diz:

    Responsabilidade, né???
    Quanta responsabilidade para o poeta…. Bom ter o dom da palavra. Você tem.
    Parabéns!!

  6. Palavras entregues ao vento.
    Sentimento rasgando o papel.
    Versos. Vazios?
    talvez!
    – Só o poeta entenderá o desabrochar da letra!!

    Lindo demais Dulce!!!

    beijos

  7. Palavras voam. e são brilhantes

  8. David diz:

    Ser ou não ser?…
    Eis a questão…
    O poeta sabe sempre o que quer dizer!
    Quem lê o poeta,
    poderá entender ou não…
    Mas mesmo se não entender
    ou tão pouco decifrar…
    Poderá sempre responder,
    com o que melhor considerar.
    Eu gostei do que li!
    Se bem que, não saiba se entendi,
    mas dei-lhe a minha interpretação,
    embora, possa estar certa, ou não.
    Palavras leva-as o vento
    tão livres quanto o pensamento!…

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s