Eras tu

Eras tu
(carta ao meu filho)

Faz hoje vinte anos, transformaste-me no que eu nunca teria sido sem ti.
Diz-se “dar à luz” como se as mães trouxessem os filhos à vida, mas essa expressão não traduz a luz que os filhos trazem à vida das mães. E tu, filho, trouxeste-me, e continuas a trazer-me cada dia, a luz que me forma, a iluminação de todos os instantes.

Ser tua mãe é a maior felicidade desta vida, a mais bela experiência da existência, o mais belo percurso que Deus poderia ter colocado à minha frente.
Educaste-me bem mais do que eu te eduquei. Claro, ensinei-te palavras, passos e regras da sociedade, guiei-te e continuarei a guiar-te sempre que a tua mão aceitar a minha, mas tu mostras-me a cada instante a intensa experiência de viver.

Tens no olhar a pureza da inocência e vês a vida como um imenso puzzle a construir, a descobrir, a percorrer a passos lentos, com sonhos no coração e o Céu por amigo. Ensinas-me a calma e a dedicação, como eu te ensinei as letras do alfabeto: com paciência, em lições repetidas tantas vezes quanto necessário para que a mensagem fique gravada.

E já vinte anos passaram desde que a tua mão tão pequenina apartou o meu dedo e que as lágrimas de felicidade escorreram pela minha face. Vinte anos desde que o peso da responsabilidade de fazer de ti um adulto capaz de respeitar os outros tanto como a si próprio, me avassalou. Vinte anos desde que compreendi que essa era uma missão impossível e que eu jamais poderia conseguir. Vinte anos desde que me dás provas todos os dias de que o que tem mais valor não é o que nós fazemos, mas o amor e a dedicação com que tentamos.

Vinte anos passaram, e a tua mão continua na minha, bem apertada quando o medo te colhe, ainda mais segura quando decides combatê-lo e avançar apesar dele.
E mesmo quando a palavra “diferença” fez a sua entrada na tua vida, mesmo quando ela passou a definir-te aos olhos de tantos, mostraste-me que as palavras voam, mas as emoções ficam.
Compreendo, hoje melhor do que nunca, que a tua singularidade faz de ti um homem raro, um ser à parte, completo e especial. E eras tu, filho, o único que poderia ter trazido tamanha luz à minha vida.

Por essas e todas as outras razões que guardamos no segredo dos nossos corações, agradeço-te, filho, e desejo que a tua felicidade nesta celebração do teu aniversário seja tão grande como aquela que me trazes há vinte anos.

Parabéns, Cyril!

Tua emocionada e carinhosa Maman.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

10 respostas a Eras tu

  1. Tina Zani diz:

    Que maravilhosa declaração de amor. Realmente, só as mães sabem a luz que cada filho traz a nossas vidas. Um beijo.

  2. Catarina diz:

    Fiquei tocada com esta carta. São mães assim que fazem os homens dignos do amanhã, e consequentemente ajudam o mundo a ficar um pouco melhor. Parabéns a ambos. Bjs

  3. A expressão do amor materno… Ah! A expressão do amor materno… Onde Deus poria mais luz? Que Deus os abençoe a ambos, Dulce!

  4. Bárbara diz:

    Nossa, belíssimo! Sem palavras!

    http://glifeblog.com/

  5. Isa Lisboa diz:

    🙂 Mais uma vez, muitos Parabéns ao Cyril! E um beijinho a ambos!

  6. Ruthia diz:

    Que doce carta. Com um filho nasce também uma mãe. Como a Dulce, a maternidade foi o momento mais iluminado da minha vida. Faço votos que continuem assim parceiros nas aventuras, nos medos, nas conquistas e sobretudo no amor.
    Parabéns aos dois.
    Ruthia d’O Berço do Mundo

  7. Aêeeeê! Suuuuperrr parabéns pra você Cyril ! Você é um 👼 ! Parabéns tb à esta mãe coruja! O melhor dessa terra pra você Cyril!!! bjjjjjjjj!!! ☀ 😘

    Fiquei emocionada com as lindas e tão bem estruturadas palavras Dulce! ❤

  8. Dulce, abençoadas são suas palavras, abençoadas também foram as emoções que senti ao lê-las.

    Cyril, agora entendo qual é a fonte que abastece toda luminosidade que sua mãe transmite e emite. Parabéns muitos e muitos anos de paz, saúde e riso solto.

    “E tu, filho, trouxeste-me, e continuas a trazer-me cada dia, a luz que me forma, a iluminação de todos os instantes.”

    Beijos para ambos.

  9. mochiaro diz:

    D’antes de um vazio interior uma presença o preencheu.
    Uma pequenina mão em energia outra acolheu.
    Era o inicio de uma era tal qual uma semente em germinação no campo da vida.
    O tempo deixou marcas e outras irão se por no avançar da vida iluminando seu caminhar.
    Um ser, hoje, recorda em grandiosa felicidade, todo um trajeto percorrido, guardado em memória.
    Mas, as palavras, um dos meios de expressão, são incapazes de traduzir o quanto que de dentro de si armazena.
    Letras não possuem o magnetismo da atração; não percorrem distâncias na busca de abraçar o universo em tamanha felicidade.
    Mas quem lê sente; quem lê vive; quem lê gera toda essa energia e se acopla, imantado, completando, dentro de si o que o texto transpira nesse suor de amor.
    Daqui inspiro o ar oxigenado e num sopro, participo ao ajudar a apagar uma das vinte luzes azuis de felicidade em comemoração a essa data abençoada pelo Grande Arquiteto do Universo.
    Um abraço é pouco
    Envio bjs aos Cyril e Maman

  10. Que esse amor se mantenha assim, por muitos e muitos anos.
    Grande beijo.

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s