Inexplicável

Foto: Grazi Calazans

Foto: Grazi Calazans – Shot Trips

Inexplicável

Não me explico esta necessidade, este impulso que me empurra para a página branca, este fogo que arde e só pode apaziguar com a tinta derramada do papel. Não compreendo bem esta intensa queimadura que me torce as entranhas para me forçar a escrever aqui loucuras sem nexo, sem norte nem sul, sem sentido, ou tão pouco.

Não é por amor às letras. Claro que as amo, mas não é esse sentimento que aqui me conduz cada dia. Posso até dizer que é falta de consideração por elas quando as utilizo para nada dizer. Mas se não o fizer, sei que vou secar. Se me abster, sou eu que vou morrer.

Vivo então aqui, através destas palavras que nada significam. E é por viver – para viver – que escureço ainda todos os espaços demasiado brancos. Quererei eu que eles se tornem tão baços como o meu pensamento? Talvez… Mas não é esse o motor que aqui me conduz. É esta irrepreensível vontade de calar a voz para deixar falar a tinta.

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

19 respostas a Inexplicável

  1. paulo diz:

    As palavras escritas permanecem tingidas na celulose e no peito.
    beijogrande

  2. isalisboablog diz:

    Há coisas que não precisamos explicar, apenas sentir e deixar fluir! 😉 Beijinhos

  3. Pingback: Inexplicável | Cosmopolitan Girl

  4. Querida, quanta humildade, desprendimento e dom há nesse “inexplicável”!
    Agradeço a Deus pela oportunidade de ter uma amiga que ao preencher páginas , preenche também luz nos corações dos leitores.

    Beijos.

  5. Márcia Monteiro diz:

    Lindo, Dulce Morais!

  6. Catarina diz:

    Os espaços em Branco servem somente para serem preenchidos. Todas as palavras tem um norte, tem um sentido, e sem duvida alguma que as suas tem um sentido profundo. E eu adoro ler esses sentidos, que reflectem, muitas vezes aquilo que cá vai dentro. Esta é a beleza dos espaços preenchidos. Por vezes deitamos cá para fora algo que faz todo o sentido para o outro. 🙂

  7. mochiaro diz:

    Dulce
    Um grito escoa no espaço e é um grito de liberdade.
    Não deixa de explicar algo de tão verdadeiro no seu interior.
    A liberdade de se expressar de uma ou de outra forma não o impede de ser ou não compreendido.
    Passamos por uma fase em que tivemos esse ímpeto e hoje esquecemos.
    Mas DÊ uma folha de papel em branco a uma nova criança
    Onde ainda não existe o conhecimento dos vetores que forma as palavras.
    Mas não deixa de existir, assim, um sentimento puro, livres dos ensinamentos ainda por vir, livre da poluição que ira aprontar um dia.
    No vazio de um papel surgem rabiscos que são verdadeiras estórias, contos, poesia, etc.
    É o grito na expressão do seu EU
    É uma forma de dizer ao mundo que o recebe o que ele entende, sem conceitos de outros poluentes, com sua pureza interior e infantil.
    Assim fomos nós, assim rabiscamos o que dentro de nós, em princípio, entendemos como pureza e sentimento.
    Quem o tenta ler entre as linhas retilíneas, curvas, sinuosas somente vai se expressar como bonito, mas na real interpretação nada deduz.
    Ao tomar o papel em Branco, vazio, você o vê como a fonte, onde um cheio de sentimento impulsivo, literários, ali se preenche no Cheio imaginativo.
    Fomos criança e passamos por esse ensino cultural que herdamos na infância.
    Hoje adultos o papel em Branco e uma caneta borra o valor de seu Eu e somente você irá entender
    Não importa!
    Seu valor ali esta fixado em verdade.
    “E, em Verdade vos digo!”
    Um filosófico abraço
    mochiaro

    • Mochiaro,
      Deixemos, então, viver a criança em nós e continuemos, mesmo crescidos, a sonhar como a infância nos ensinou.
      Afinal, tudo na vida – a página branca, o tabuleiro vazio, os sonhos vividos, os que ainda não sonhámos – são o reflexo da inocência 🙂
      Outro filosófico abraço!

  8. Minha dolce Dulce,

    Engana-te em pensar que tuas palavras nada significam. Ao menos pra mim elas são muitas vezes como bálsamo…
    Toda a arte talentosa que revelas aqui com seu delicado cuidado, pode até parecer-te prescindível, mas em absoluto não é. Pelo contrário, é essencial. Pra você, assim como disseste, e pra nós que amamos essa sua tinta derramada na página branca.
    Então deixe que sua voz emudeça para que sua tinta derramada leve para muitos as cores que alegram corações.

    Olha, preciso de você aqui e fora daqui! Senta aqui comigo, vamos tomar um ☕ e encher tudo quanto é página branca que a gente ver pela frente! 😉

    escrevaDulceescrevaDulceescrevaDulceescrevaDulceescrevaDulceescrevaDulceescreva!!!
    😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘

    • Doce Cris,
      Raras são as pessoas que tanto me emocionam, tanto na escrita que nos oferecem como na pessoa que são. E tu és uma delas.
      Estes meus pequenos delírios, que me atrevo por vezes a partilhar aqui, são vôos um pouco além do habitual, mas fazem parte de mim, mesmo assim.

      E quero que saibas que também preciso de ti, aqui, nas tuas partes (e no teu todo), além de tudo isso, para preencher as páginas e as chávenas 🙂

      Obrigada por fazeres parte da minha vida!
      Adoro-te, minha linda! 😘😘😘😘😘😘

  9. Sissym diz:

    É explicavelmente profundo, belo para ser compartilhado. Bjs

  10. “(…)nada significam…”
    Claro que significam. E muito!
    Um beijo.

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s