Desidratação

Imagem da Web

Imagem da Web

Desidratação

Flores secas
no caderno.
Morreram
mas continuam vivas,
perderam o perfume
mas ainda desabrocham a cor.
Desbotam nas páginas
da vida a tinta das pétalas
e coloram as letras
dos caminhos passados e futuros.
…devaneios inseguros…

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

12 respostas a Desidratação

  1. Singelo… Encantador!
    Trás a sua “marca”, Dulce.
    Parabéns!

  2. Ruthia diz:

    Punha pétalas de rosa no meio dos livros, quando era pequena. Parece que foi há uma eternidade… e os seus versos transportaram-me até lá. Grata por esta pequena nostalgia, querida Dulce. Gente que gosta de livros e flores tem qualquer coisa… falta-me o adjectivo… de poeta talvez.
    Beijinhos

  3. Paula Brum diz:

    Sempre desejei ter flores guardadas em livros, mas nunca experimentei. Lindo!

    • Paula, o mais mágico consiste em pegar num livro lido há vários anos para o reler, e encontrar entre as páginas uma flor colocada lá, em memória de um momento especial… 🙂
      Obrigada!

  4. Flores guardadas em livros guardam tantas confissões… Lindo poema querida Dulce. Bjos grandes!

  5. Um poema com tanta poesia, Dulce. Flores secas entre páginas do passado, no momento presente, assinalando-nos o futuro! Mágico!

  6. Sissym diz:

    Assim lembro das arvores que parecem mortas após um inverno intenso e na primavera começam a viver novamente. Bjs

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s