Invasor

Ilustração: Mystery Wood Amiela

Ilustração: Mystery Wood
Amiela

Invasor

Enrola-se ao tronco do ser que se deixa avassalar.
Nasceram ao mesmo tempo.
Uma é bela e poderosa.
O tronco forte ergue-se até às nuvens.
Nenhuma ave que não deseje em seus ramos aninhar.

A outra planta ali nascida
nas raízes se emaranhou e cresceu,
agarrando-se à sua anfitriã.
Uma erva daninha,
reles e inútil,
que infiltra a sua seiva na bela árvore majestuosa.

Desnecessária e poluente,
apaga o juízo da grandiosa.
Impede a verdade, a inocência e a beleza,
de serem puras e belas.

A árvore sou eu, és tu e o mundo.
A erva é a ideia
que existem diferenças entre os seres porém iguais.
É o preconceito que mata
e a ignorância que arrebata a objetividade.

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

3 respostas a Invasor

  1. Que oportuno, Dulce. Tenho lido muito sobre isso. Sobre facciosidade, sectarismo e preconceito. De fato, ervas daninhas. Texto que transpira um alerta importante, em todos os tempos!

  2. mariel diz:

    Talvez, não sei, uns precisem do outro. Quem sabe não sejam invasores, mas habitantes do mesmo lugar.

  3. Sissym diz:

    Voce me fez lembrar de todas as vezes que passo pelo canal e olho o manguezal maltratado pelo ser humano, pior do que qualquer erva daninha!

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s