Ao viajante

Ao viajante

A ti que tão longe viajas,
Além do alcançável,
Para lá do palpável.
A ti, que o silêncio envolve
Dedico palavras sem sentido
E versos sem significado.
São apenas saudades que te tenho
E carinho que te guardo.

Dulce Morais

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

4 respostas a Ao viajante

  1. Que belo e terno, Dulce…

  2. Tugazzar diz:

    é assim, de um ponto a outro ponto, que a leitura de um bom poema também nos transporta e o «sem sentido» e «sem significado» adquire o conceito oposto.
    [ou seja, gosto muito! :)]

  3. Ruthia diz:

    Saudade faz parte da alma de todos os viajantes. Cá em casa, faz parte da rotina. E soube cantá-lo tão bem.
    Beijinhos, uma linda semana
    Ruthia d’O Berço do Mundo

  4. Sissym diz:

    Bom saber que a jornada pode ser longa mas as lembranças são para sempre.

Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s