Poesia em Português

Arte: Jaime Best

Arte: Jaime Best

Desidratação
Pensamentos nos Caminhos
Adormecida
Sinais
Desenhos
Meia Visão
Esquecidas
Antípoda
Qual o meu nome?
Raízes
Sonambulismo
O sentido do sentimento
Caminhos e passos
Trabalhos de Agulha
Corola
Diva(ne)gação
Depois das nuvens
O Murmúrio do Vento
Ondas de Ser
O Que Foi
O Desconhecido
Transparente
Thomar
Em Versos Deitados
Sem Armas
Melodia Lançada
Imagem do Infeliz Paradoxo
Pedido da seiva
Idiomas
Esculpida
Desprender
Era uma vez…
Nas Linhas
Impotência
Na Pedra
Impontualidade
Ativação
Ausências
Repetir
Transparência
Paisagem
Elementos
A Terra de Todas as Essências
Som dos Silêncios
Intempérie
No Espaço
O meu vestido
Transformação
Verso Frio
Sementes e rio
Amnésia
Dispersão
O Balanço do Peso
É assim…
Não Fales
Sem Castiçal
Não é nada importante
Diferenças
Respostas da Ausência
Flamejante
Alada
Continua a Canção
Murmúrios
Ostentação
A Fadista
Foram Quarenta
Quase Ações
Irreversível
São Versos
Não Chores
Ausência de Evidência
O Voo do Namorado
Não Vou Contar
Imobilidade
O Que Resta do Que Passa
Evidências
A Promessa do Presente
Marés Silenciosas
Em Silêncio
Clamor Versejado
Falei de ti
O Lamento
Memória Imperfeita
Sabores
Partir
Sentidos
Gestos da Ausência
Entre o Inverno e o Verão
Não Há Urgência
No Deserto
As razões dos caminhos
Representação
Cidade
Inútil
Sensação de Visão de uma Canção
Canta para Ele!
Preto e Branco
Acompanhada
Palavras
Perdida
Fuga
Despedida
Silêncio
Nova
Viagem
Ali
Eternidade
Esquecido
Canções em línguas estranhas
Cigana
Ilação
Canteiro
Embarcação
Neve
Presente
Queda
Desencontro
Passeio
A Tua Mão
Minuto Mágico
Voa!
Tentativas
Lua de Papel
Era e É
Estas e Outras
Dilema
Alado
Arco-Íris
Quem éramos?
Brincadeiras
Trigo
Tinha Sede
Palavra Singular
Ponto Desenhado
Quem foi?
Entrega
Se a Poesia
Grito
Tejo
Água
Ver Passar os Barcos
O Que Não Quero
Tam-Tam
Adeus

Não São Palavras
Mesmo Que
Será?
Duas
Estavas Aqui
O Caminho
Amores
Alergia
Um Homem
Aprender
Metáfora
Não permito
Insónia
Ponto Final
Se Assim Queres
Volta
Choveu

Mulher Africana
O Chapéu no Bengaleiro
Nada Mais
Liberdade
Não é o Inferno


Obrigada pelo vosso comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s